• Fernando Garbin

DESCRIÇÃO DE PRODUTOS: 15 DICAS PARA VENDER MAIS



A descrição de um produto deve conter detalhes sobre recursos, indicações, utilizações e benefícios para ajudar a concretizar uma venda. O texto deve ter qualidade, pois pode estimular bem como interromper a conversão. O visitante almeja encontrar informações que o faça decidir pela compra.

A descrição de um produto no e-commerce precisa atender os itens abaixo:

  • Ser atrativo para o cliente

  • Explicar a experiência física e emocional de comprar o produto

  • Ser clara e objetiva

  • Sanar dúvidas e preocupações comuns sobre o produto

  • Incluir texto, imagem e vídeo.

Segue agora 15 dicas para descrição de um produto, Confira!

1. Responda a algumas perguntas antes de começar

Está com dúvidas sobre o que escrever para divulgar um produto? Um texto básico jornalístico, por exemplo, deve responder a seis perguntas: quem, o quê, onde, quando, como e por quê. Aplique essa lógica para fazer descrições muito boas de produtos.

  • Para quem é o produto? Defina sua persona

  • O que é este produto? Deve conter dimensões, materiais e funções.

  • Onde é possível utilizá-lo? Em casa, no consultório, na cozinha, no lazer.

  • Quando é utilizado? Inverno, verão, nas férias, no trabalho, em uma festa, diariamente.

  • Como o produto funciona? Ele é aplicável a: eletrônicos, peças para carros, eletrodomésticos, academias, etc.

  • Por que é um produto útil para o cliente? Descreva os benefícios e recursos.

2. Escreva para a persona

Para descrever um produto, você deve entender quem é a sua persona para tornar o texto atrativo e convincente. Seu e-commerce vende produtos para hospitais? O tom de voz precisa ser técnico e sério, e a descrição deve ser completa.

  • Melhorar a experiência do cliente: dicas para e-commerce no pós-pandemia

É um petshop online? Descreva os ingredientes da ração úmida, sua textura e suculência. Lembre-se: tutores prezam pelo bem-estar e felicidade dos seus "amiguinhos''. Pensando nisso, experimente acrescentar a frase “Seu cachorro vai amar!” para fazer uma boa descrição do produto.

3. Descreva os recursos e benefícios do produto

A descrição de um produto deve conter seus recurso como as especificações e os detalhes e também os benefícios que ele traz ao cliente. Geralmente, os consumidores já estão cientes dos recursos, e por isso, estão à procura dele. Então, se você quer que o seu e-commerce continue atraindo visitantes, é de extrema importância escrever sobre as vantagens que o produto em questão oferece.

4. Informação sobre a matéria-prima

É importante informar qual é o material utilizado na fabricação do produto. Se for uma sandália, por exemplo, descreva os materiais que revestem cada parte como: palmilha, contraforte, solado, etc.). Se for uma roupa, informe a composição do forro, qual tecido, e os materiais dos detalhes.

Importante: Informe também se a matéria-prima é orgânica, sustentável ou vegana.

5. Guia de medidas

Esteja atento às dimensões do produto. Informe medidas de roupas, calçados, móveis, eletrodomésticos e eletroeletrônicos para que o consumidor tenha segurança ao realizar a compra.

E-commerce de moda devem investir em uma solução para que os consumidores encontrem o próprio tamanho, além, é claro, de informar P, M, G e GG.

O recurso deve levar em consideração as medidas do corpo para encontrar o tamanho certo, fazendo com que o cliente acerte e diminua as chances de troca – o que encarece a logística.

No exemplo abaixo, seguem medidas de calças

6. Empregue as palavras-chave do jeito correto na descrição de produto

A repetição da palavra-chave no texto não é considerada uma boa prática de SEO. Além disso, pode empobrecer a descrição, afastando os potenciais clientes do site.

A dica é utilizar as palavras-chave e termos complementares de maneira inteligente e natural – não escreva para o Google, e sim para as pessoas. Dessa forma, seu conteúdo autoral terá boas chances de ranquear nos mecanismos de busca.

Para fazer esse planejamento, utilize o próprio Search Console (para saber quais palavras trazem mais tráfego para o site), o Keyword Planner, o Ubersuggest e o SEMRush.

7. Utilize as palavras-chave long tail

Palavras de cauda longa são mais específicas, menos concorridas e, por isso, indicadas para e-commerces de nicho. Pequenos e médios negócios especializados em artigos esportivos ou eletrônicos, por exemplo, devem investir em termos específicos e que não competem com grandes players, caso contrário a estratégia de SEO corre o risco de não funcionar.

Quer um exemplo de descrição de um produto? Vamos analisar a palavra “sandálias”. Tem alto volume de buscas e extremamente concorrida, mas que não necessariamente converte o bastante. Já a frase “sandália feminina (marca do produto) preta”, que é um termo long tail, embora tenha menor volume de buscas, demonstra maior interesse de compra, indicando que a pessoa está no fundo do funil, prestes a converter.

8. O melhor formato para descrever o produto

Uma ideia boa é mesclar parágrafos e bullet points. É necessário fazer com que os marcadores concentrem informações técnicas do produto, como material, tamanho, dimensão, cor, e frases curtas, como benefícios ou funções, que sejam fáceis e rápidas de ler.

Você deve contar uma história para convencer o cliente a comprar. Explique como será útil para o dia a dia, como foi desenvolvido e o que o cliente pode esperar dessa nova experiência.

Use sua criatividade e mantenha o tom de voz da sua comunicação, seja formal, casual ou bem-humorada.

9. Título atrativo

O título deve ser atrativo para despertar a curiosidade do consumidor. Evite chamadas muito simples, mas também não forneça muitos detalhes, as especificações ficam para a descrição do produto.

  • “Sandália feminina”: muito genérico → evite

  • “Sandália feminina na cor preta, de couro ecológico e salto transparente”: muito detalhado → evite

  • “Sandália feminina (marca) preta”: na medida → prefira

O título será o primeiro contato do consumidor com o produto tanto no site de busca quanto no seu e-commerce, então capriche.

10. Recursos Visuais: Use!

A descrição de um produto não é apenas o texto, mas também fotos, gráficos, vídeos e infográficos. Os recursos visuais adicionam informação, além de cativar o consumidor, afinal somos muito visuais, então exemplificam uma forma de utilização e reforçam o que o texto já explicou.

Os infográficos, por exemplo, podem explicar como funciona o produto, e o vídeo pode trazer informações extras e dicas de recursos.

11. Aplique SEO nas imagens de produtos

Os consumidores podem encontrar o seu produto fazendo uma busca por imagens, por isso você otimize para SEO. Isso significa prestar atenção ao nome e ao tamanho do arquivo e ao campo texto alternativo (Alt Text) da plataforma de e-commerce.

Ao subir fotos de produtos para e-commerce, o nome do arquivo vai aparecer na URL da imagem e será assim que o Google vai procurá-la. Defina o nome do arquivo pensando nas palavras-chave, como: “sandalia-feminina-preta.jpg”. Não envie uma foto nomeada com “imagem001.jpg”.

Mantenha o tamanho da imagem o menor possível, mas que não prejudique a qualidade e nem a visualização. Veja algumas dicas de otimização:

  • Envie a imagem do tamanho que você irá usá-la, nem menor (perda de qualidade) e nem maior (demora no carregamento). Use um editor para recortar e redimensionar.

  • Use ferramentas online para compactar a imagem, sem prejudicar a qualidade. O TinyJPG é uma delas.

Prefira o formato .jpg ou .jpeg para os arquivos, pois são mais leves. O .png é indicado quando você precisa da transparência da imagem e para vetores e ilustrações.

O Alt Text tem a função de descrever a imagem para que o Google consiga identificá-la e também é uma ferramenta de acessibilidade, pois os leitores de tela leem as características para deficientes visuais. Faça uma descrição natural, não use palavras-chave em excesso, seja simples e breve, como “sandália feminina preta (nome da marca)”.

12. Faça uma meta-descrição

A meta-descrição não é importante apenas para a home do site, ela deve estar em todas as páginas de produto.

Explique o item e descreva sobre seus benefícios. Lembre-se que a meta-descrição deve ser curta, simples porém objetiva. Use sempre a palavra-chave! Uma dica para visualizar como ficarão o título e o texto é utilizar o Serp Simulator, que mostra uma prévia da meta-descrição no Google.

13. Experiência sensorial

Crie sensações no público para que, mesmo lendo a descrição por uma tela de computador ou celular, ele saiba como seria tocar, provar ou sentir o produto. Um texto que utiliza adjetivos sensoriais faz com que os usuários experimentem-no enquanto leem.

Na descrição de um tênis, por exemplo, você pode usar a expressão “que abraça o seu pé” para passar a sensação de segurança e conforto. Para especificar o tecido, é possível escrever “toque gentil na pele”, que transmite leveza e qualidade.

Os adjetivos também funcionam para alimentos e bebidas, por exemplo em vinhos. “Suculento e convidativo” são palavras que cabem na descrição de um rótulo, assim como “refrescante e delicado”.

14. Use provas sociais

Os consumidores se sentem mais seguros ao saber que o produto foi avaliado por outros compradores. Ter opiniões dos clientes na página funciona também como uma influência para o visitante.

Essa avaliação pode ser feita por estrelas ou depoimento. Para estimular os clientes a deixarem suas opiniões, faça um fluxo de e-mail para ser enviado assim que o comprador receber o produto.

15. Crie hotsites para os produtos

O hotsite garante uma experiência imersiva do cliente em um produto ou linha recém-lançada. O usuário que chega ao hotsite é um consumidor que está mais consolidado para a conversão, pois demonstrou interesse em conhecer a fundo a novidade.

Essa página temporária pode conter imagens, infográficos, texto, vídeos e a história de desenvolvimento do produto.

Textos e imagens das descrições de produtos precisam ser atrativos e convincentes para que o cliente adicione o item no carrinho e efetue a compra.


8 visualizações0 comentário